Trechos do livro: "Inclassificáveis"



  • O único autorizado a dizer se vale a pena ou não lutar pelo que se quer é você mesmo, e o único que sabe quando abandonar um sonho é o seu coração.
  • Foi nesse momento tão cheio de poesia entristecida que abri um caderninho e comecei a escrever, foi um jeito de gritar em silencio para não acordar quem ainda dormia.
  • Não deixar que as luzes dos holofotes, que provavelmente conheceríamos, ofuscassem quem a gente era de verdade.
  • A gente foi crescendo se conhecendo, entendendo os nossos e os limites dos outros, evoluindo como artistas e também como pessoas.
  • Eu estava nervosa, a voz não saia direito, o coração batia tão forte que eu podia jurar que todos conseguiam ouvir.
  • Afinal, dizem que os encontros de alma são assim, parece que já conhecemos há anos pessoas que acabam de cruzar nossas vidas.
  • Tem horas que o silêncio é um livro de possibilidades nada diz mais do que um silêncio preenchido, esse rio que corre cheio de segredos submersos que é de fato onde podemos nos esconder do mundo e nos refugiar no lado de dentro.
  • Somos medo e coragem, vontade e covardia de seguir, e o amanha quem nos garante? e o depois quem nos conforta?

Postar um comentário