Entrevista: Flávia Gonçalves


Antes de falar um pouco sobre mim, quero agradecer ao Blog Febre de Livro pela oportunidade e dizer que é um prazer estar aqui. Como escritora, fico muito feliz de encontrar pessoas como o Crisberg Luan, que abrem portas e valorizam a Literatura Nacional.

Bom, pessoal, eu sou a Flávia. Nasci em 1979, na cidade de Duas Barras, interior do Estado do Rio de Janeiro. Sou graduada em Música, pós-graduada em Artes Visuais e Professora da Rede Estadual de Ensino do Rio de Janeiro. Divido minha vida com Carlos Henrique Abbud, meu maravilhoso esposo e parceiro de escrita. Gasto o pouco tempo livre que tenho com literatura, filmes, séries e muita, muita música. Fui Idealizadora e Regente do projeto “Iniciação Musical”, em atividade desde 2007 em Escolas Estaduais e diversas instituições de ensino musical. Sou flautista desde os 12 anos de idade e comecei a rascunhar minhas primeiras ideias fantásticas quando ingressei no Segundo Seguimento do Ensino Fundamental. Minha primeira publicação foi o romance "Alice Black - Princesinha do Inferno", em parceria com Carlos Henrique Abbud, pela Editora Autografia, durante a Bienal do Livro Rio 2015. 

 1. Como começou o seu interesse pelo fantástico mundo da escrita?
Escritora - Foi na escola. Cresci ouvindo meus pais dizendo que estudar era tudo na vida de uma menina pobre. E eu segui ao pé da letra os conselhos deles. Foi na escola que entrei para o mundo da literatura. Devorava o máximo de livros que podia da biblioteca da escola e da biblioteca municipal. Minha mente era povoada por tantas histórias diferentes que logo senti a necessidade de colocar no papel o mundo que havia criado através delas.

2. Todo escritor, normalmente é também um grande leitor. Conte-nos quem são seus autores favoritos? Algum deles inspirou a sua escrita?
Escritora - Acho que "grande leitor" cabe direitinho para mim rs Eu fui uma "grande leitora" rs Posso dizer, sem exagero algum que, desde a pré-adolescência até o início de minha fase adulta, eu acordava LENDO, tomava café da manhã LENDO,  caminhava até a escola LENDO, passava o intervalo entre as aulas LENDO, terminava as tarefas de casa e corria para continuar LENDO, almoçava e jantava LENDO, ia dormir LENDO. Isso tudo até parece mentira, eu sei. Mas foi assim mesmo. Foi exatamente assim a minha adolescência inteira. Com isso, eu conheci muitos autores diferentes e, certamente, cada um me inspirou um pouquinho para começar a escrever. Dentre esses autores, alguns me marcaram mais:  LYGIA BOJUNGA (A Bolsa Amarela), JOSÉ MAURO DE VASCONCELOS (O Meu Pé de Laranja Lima),  MAURICE DRUON (O Menino do Dedo Verde), COLEÇÃO VAGA-LUME, JOSÉ DE ALENCAR (Senhora), ROBIN COOK (Coma, Medo Mortal, Cérebro, etc), KEN FOLLET (Um Lugar Chamado Liberdade), UMBERTO ECO (O Nome da Rosa), AGATHA CHRISTIE (Assassinato na Casa do Pastor) e por aí vai...


3. Qual foi o trecho do livro que você mais gostou de escrever?
Escritora - Foi a cena 30 - ALICE NO CÉU COM DIAMANTES. Olha, vou confessar: essa foi a cena mais difícil, porém, a mais gostosa que escrevi desse livro. Difícil, porque trata-se de uma cena romântica, onde Alice se descobre como mulher. Acho que as escritoras de plantão sabem bem do que estou falando rs É complicado prender a atenção do leitor com uma narrativa "quente" sem cometer o erro do "exagero". Porém, foi a cena que mais gostei de escrever, pois eu mergulhei na vida da protagonista, revivi com ela tudo o que tinha passado até aquele momento. O texto foi fluindo conforme eu o via através de uma cena de amor produzida para o cinema.


4. Qual de seus personagens é o seu favorito ? Por quê? O que ele significa para você?
Escritora - Às de Espadas. Essa criatura, que inicialmente era bestial aos olhos de Alice, foi tomando conta da história, do coração dela e do meu também rs Acho que minha paixão por Às de Espadas se deu a partir do momento que Alice percebe que ele não é somente uma criatura feia que habita o submundo. Atrás de sua aparência inumana, Às de Espadas vai mostrando tanto para Alice quanto para o leitor que não perdeu sua essência malévola, mas que está com Alice para o que der e vier. Humana e fera tornam-se amigas fiéis, provando que seres diferentes podem viver juntos. Esse conceito significa muito para mim.

5. O que seu livro significa para você? O livro já mudou de alguma forma a sua vida?
Escritora - ALICE BLACK - PRINCESINHA DO INFERNO é o primeiro livro que publico. Ele significa a comunhão, a união de muitas ideias de duas pessoas afins, que se amam e que tem o mesmo objetivo de vida, o mesmo sonho. As pessoas que conhecem minha história de vida, que vivem ao meu redor, sempre dizem que tudo que eu e Carlos começarmos juntos, terminaremos juntos e teremos sucesso. Já tive muitas provas disso e esse livro é a mais feliz de nossas realizações.

6. Como se sente quando vê que as pessoas estão gostando do seu trabalho?
Escritora - Simplesmente, fico em estado de êxtase rs Às vezes, recebemos mensagens de leitores que nem terminaram de ler o livro, mas que já tem a necessidade de nos contar o que estão sentindo ao entrar em contato com a história. Tem leitores que terminaram de ler o livro em dois ou três dias, pois disseram que não conseguiram parar de ler! Nossa! Ter esse feedback positivo é maravilhoso! Eu me sinto realizada e muito feliz com o carinho dos leitores.

7. Qual a emoção de ter seu primeiro livro publicado?
Escritora - Como eu já disse, é a realização do nosso maior sonho. Isso, definitivamente, mudou a minha vida e a de Carlos. Somos escritores e nossa vontade é de continuar, continuar sem parar nunca rs

8. Você tem alguma inspiração quando escreve ou tudo vai simplesmente surgindo?
Escritora - Não posso negar que tenho inspirações de vez em quando, mas na maioria das vezes, preciso colocar em prática todas as coisas que aprendi sobre a árdua tarefa de escrever. 

9. Qual seria sua maior "dica"para quem quer começar a escrever "Profissionalmente"? 
Escritora - Sei que essa é a dica de muitos escritores, mas acho que não existe outra melhor: seja profissional. Leia, sobre tudo e não se prenda a somente um gênero literário, selecione os melhores dentre infinitos conteúdos sobre escrita na internet, escute seus instintos, acredite em seus ideais, aposte em sua história, tenha disciplina. Mesmo que seu tempo seja curto, procure escrever todos os dias, mesmo que seja um parágrafo. Nunca se afaste de seu texto para não perder o pique e nem a curva dramática de sua história. Organize suas ideias, faça um planejamento, estruture o que deseja escrever em cenas antes de começar propriamente seus textos. Bom, eu procuro fazer dessa forma, mas é claro que não existe receita de bolo para isso. Faça da melhor maneira possível, pois o importante mesmo é terminar o que começou e ficar satisfeito com o resultado. 

10. Quais são os seus próximos planos literários? Tem algum projeto em andamento que possa revelar?
Escritora - Com certeza, meus planos literários são os mesmos que do Carlos, pois nossa intenção é continuar a escrever em parceria. Temos todo um mundo de fantasia que já estamos criando faz um tempo. Dentro desse mundo, existem vários caminhos, muitos projetos somente rascunhados e um já bem adiantado. É um romance de fantasia, mas com abordagem bem diferente. Ainda não temos nome para essa história, mas o que posso afirmar é que possui muita magia, amor, intrigas, traições, aventuras, perigos. Enfim, tudo que um bom livro precisa ter para presentear leitores de Literatura Fantástica.


Agora, para finalizar, eu gostaria de deixar um recado para os leitores que curtem Literatura Fantástica Brasileira: O livro ALICE BLACK - PRINCESINHA DO INFERNO é recheado de aventuras, perigos, descobertas, tramas, traição, inveja, humilhações, vingança, superação, intrigas, romance e, principalmente, música. Quem curte rock, blues, jazz, encontrará no submundo onde Alice vive muitas referências a bandas super conhecidas,  histórias de integrantes dessas bandas, shows fantásticos, músicos antigos jamais esquecidos, ícones das capas de álbuns famosos, letras de diversas músicas que ficaram marcadas ao longo do tempo... Enfim, todas essas coisas aparecem amarradas na história do livro sob a perspectiva dos personagens. Quem ainda não conhece o mundo do rock, pode estar a um passo de descobrir o quanto ele é maneiro ao se aventurar com Alice nessa jornada. E quem já conhece, entrará em um mundo onde tudo que se vê aqui, na Terra, é de verdade, só que mergulhado em um submundo cheio de magia, encantos e tudo que um fã de rock gostaria de experimentar na vida real.

Embarquem nessa jornada com a gente e se surpreendam ao encontrar suas bandas preferidas a cada página lida!

Beijos carinhosos para todos que separaram um tempinho para ler até aqui. Obrigada e divirtam-se na Cidade Paraíso!!

1 comment

Beatriz 3 de outubro de 2017 11:59

Flavia, vc indicaria este livro para qual faixa etária
E o livro A vida é uma tarde de chuva

Postar um comentário